Pensando em você!

Não perca seus direitos

Demissão

Saiba a hora certa de pedir

Conheça agora!

Convênios SINPRO JAÚ

Fortalecendo o time

Você é muito importante! Faça parte agora!

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Club de Férias - A sua melhor opção!

Você já deve estar cansado ou cansada. É final de temporada e está querendo descansar daquele jeito incrível, memorável digno de quem ralou o ano todo.

Pensando nos professores e professoras o SINPRO JAÚ, tem uma parceria com o Club de Férias (www.clubdeferias.tur.br), oferecendo descontos incríveis para associados do Sindicato dos Professores de Jaú.

Pensando em você, O Club de Férias é uma opção ótima para viagens nacionais e a facilidade de reservas impressionam quando a questão é velocidade e eficiência.

Os valores são tão incríveis e dependendo a temporada e a região você consegue descontos de até 70%.

Acesse o site www.clubdeferias.tur.br para mais informações.

O esquema é bem simples, você abre o site, com uma data em mente e um local, você liga ou envia um e-mail localizado na aba de 'contato' e a atendente consegue te dizer sobre disponibilidade e valores. Simples né? É Incrível! 

Decidiu pedir demissão? Calma, ainda não é hora!

Professor, professora, se você não pretende permanecer na escola ou Instituição de Ensino Superior no próximo ano, fique atento às orientações do Sinpro e consulte a Convenção ou Acordo Coletivo de Trabalho.
As Convenções e Acordos determinam que a demissão deve ser comunicada no final do ano letivo, até um dia antes do recesso. Por esse motivo, deixe pra fazer a carta de demissão em dezembro.
A segunda regra para garantir o pagamento do recesso é trabalhar até o final das atividades letivas, cumprindo todas as obrigações docentes. Se sair antes, perde o direito ao recesso.
Veja os modelos de carta de demissão para cada segmento. Faça duas cópias, protocole na Secretaria da escola e guarde uma das cópias com o protocolo da entrega.
Pedido de demissão no final do ano letivo – professores e técnicos de ensino do Sesi-SP e Senai-SP
Você pode comunicar a demissão até o último dia de aula e garantir o recebimento do salário até o último dia do recesso, que tem datas diferentes para professores do Sesi, Senai e Senai Superior em janeiro de 2019. Para tanto, a carta deve ser redigida conforme o modelo abaixo:
À
Direção do (Sesi-SP/Senai-SP)
Nos termos do artigo da CLT, inciso II, comunico antecipadamente o meu desligamento desta instituição ao término do recesso. 
Date e assine em duas vias e guarde uma delas, protocolada pela escola
Pedido de demissão no final do ano letivo – professores de Educação Básica
O pedido de demissão no final do ano está regulamentado na cláusula 23 da Convenção Coletiva de Trabalho dos professores de Educação Básica.
A carta de demissão (veja o modelo abaixo) pode ser entregue a qualquer tempo no final do ano letivo (não há um dia ou semana específica) até o dia que antecede o início do recesso escolar.
Você precisa cumprir todas as atividades até o seu último dia de trabalho. Dessa forma, fica garantido o pagamento de 30 dias do recesso.
À/Ao
(nome da instituição)
Nos termos do que dispõe cláusula 24 da Convenção Coletiva de Trabalho dos professores da Educação Básica, comunico a minha demissão ao término do ano letivo
Date e assine em duas vias e guarde uma delas, protocolada pela escola


Pedido de demissão no final do ano letivo – professores Educação Superior
O pedido de demissão no final do ano está regulamentado na cláusula 21 da Convenção Coletiva de Trabalho dos professores de ensino superior. A carta de demissão (veja o modelo abaixo) deve ser entregue até o dia que antecede o início do recesso.
Você precisa cumprir todas as atividades até o seu último dia de trabalho. Dessa forma, fica garantido o pagamento do recesso.
À/Ao
(nome da instituição)
Nos termos do que dispõe cláusula 21 da Convenção Coletiva de Trabalho dos professores do Ensino Superior, comunico a minha demissão ao término do ano letivo
Date e assine em duas vias e guarde uma delas, protocolada pela escola

Fonte: Sinpro Campinas

Saiba como o 13º deve ser pago

O 13º deve ser pago sempre em duas parcelas. A primeira delas, até o dia 30 de novembro e a segunda, até o dia 20 de dezembro.

A primeira parcela do 13º corresponde a 50% do salário recebido no mês anterior sem nenhum desconto. A segunda parcela corresponde ao salário de dezembro, acrescido da média de horas e adicionais pagos regularmente. Deste valor são deduzidas a primeira parcela, a contribuição previdenciária e a tributação de imposto de renda.

O 13º salário é pago à razão de 1/12 por mês completo trabalhado (considera-se mês integral 15 ou mais dias trabalhados no mês). Quem trabalhou o ano todo, recebe o 13º integralmente. Quem foi admitido, por exemplo, no dia 01/02, recebe 11/12.

Também recebe o 13º salário quem está em licença maternidade por gravidez ou adoção. No primeiro caso, o empregador paga diretamente à trabalhadora e faz a dedução das contribuições previdenciárias, como ocorre com o salário-maternidade. Na adoção, é o INSS que paga diretamente a trabalhadora ou o trabalhador.

Na licença médica, o 13º incide apenas sobre os primeiros 15 dias de afastamento.

Descontos

A contribuição previdenciária e o imposto de renda são deduzidos somente na segunda parcela, porém calculados sobre o valor total das duas parcelas. O imposto de renda é tributado exclusivamente na fonte e separado da remuneração de dezembro.

Fonte: SINPROSP.

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

CAMPANHA SALARIAL 2019 - ASSEMBLEIA 26/10/18

No dia 26 de outubro, os professores da Educação Básica e do Sistema S estão convocados a participarem da nossa assembleia de Campanha Salarial 2019, na Sede do Sindicato, às 17h00, quando nossa pauta de reivindicações será construída democraticamente e nossa luta será organizada.

A Sede do Sinpro Jaú fica localizada na Rua Miguel Sancinetti, 217, JD Netinho Prado, Jaú-SP.

É HORA DE AVANÇAR!

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

DIA DO PROFESSOR: PARABÉNS!


Quem educa com dedicação
Transmitindo sabedoria,
Por honra a uma só profissão
Que escolheu ser sua um dia…

Quem procura sempre soluções
Para problemas dos seus alunos
E se empenha sem distrações
Nos momentos mais oportunos…

Merece a nossa maior gratidão
Por fazer tudo com tanto amor
E que lhe desejem de coração
Um Feliz Dia do Professor!

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

CAMPANHA SALARIAL 2019 JÁ COMEÇOU

CAMPANHA SALARIAL 2019: ASSEMBLÉIAS EM OUTUBRO



Fique de olho nos avisos do seu sindicato:
agora em outubro teremos as primeiras assembleias da Campanha Salarial 2019.


Vai ser a assembleia da 'pauta quente!' - vamos discutir e votar o que queremos em nossa pauta de reivindicações, para defender nossos direitos e, agora, avançar.

Este ano tudo começa mais cedo, para aproveitar o embalo das campanhas vitoriosas deste ano e para se antecipar a qualquer nova tentativa de reduzir direitos.


A PRIMEIRA REUNIÃO

Os sindicatos integrantes da Fepesp reuniram-se em Campinas, na sede do Sinpro, para organizar com antecedência a campanha salarial de 2019. Assembleias para discussão de pauta e organização da mobilização serão realizadas agora no mês de outubro. Vamos avançar, com a modernização da nossa convenção!


Em 2018, a campanha salarial de professoras, professores e auxiliares de admoinistração escolar na rede privada de ensino em São Paulo enfrentou forte empenho de donos de escolar e instituições de ensino superior no sentido de reduzir direitos para diminuir custos e aumentar suas margerns de lucros. Foi clara a intenção em embarcar na onda da perversa 'reforma' trabalhista do governo sem votos. Mas a categoria soube resistir. Defendeu a palavra de ordem 'vamos defender o que é nosso'' e foi vitoriosa: na educação básica, todos os direitos fortam mantidos; no ensino superior, a tentativa de cortes foi rejeitada.

Agora, em 2019, a campanha salarial está sendo iniciada com antecedência para seguir com o entusiasmo que animou a campanha deste ano.

Já em outubro, serão realizadas as primeiras assembleias para discussão e formação de pauta de reivindicações, com a proposta de avançar na conquista de direitos, modernizando as convenções coletivas de trabalho:

"Modernizar, sim', diz Celso Napolitano, presidente da Federação dos Professores de São Paulo. "Vamos blindar nossas convenções contra tentativas de implantar o trabalho intermitente, a terceirização, a pejotização dos professores. Vamos discutir a 'hora tecnológica', o tempo em que professores agora dedicam ao trabalho docente via meios eletrônicos que os colocam à disposição da escola 24 horas por dia. As escolas já se preparam para se atualizar, aumentando suas mensalidades - vamos também atualizar, modernizar nossos direitos nesta campanha".

A Fepesp é integrada por 25 sindicatos. Após as assembleias em cada sindicato haverá a unificação das pautas até o final de outubro, a fim de dar inicio às negociações da campanha de 2019 ainda no mês de novembro, antes das férias coletivas e recesso de fim de ano dos professores.

Fonte: www.fepesp.org.br

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

PLR ou Abono Salarial 2018 - Educação Básica

Fique de olho: o dia 15 de outubro é o prazo limite para as escolas pagarem a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) da escola, ou Abono Especial, a todos os professores e auxiliares de administração escolar da Educação Básica na rede privada de São Paulo representados pelos sindicatos integrantes da Fepesp.



Isso foi conquista da campanha salarial e foi confirmado em comunicado conjunto dos sindicatos integrantes da Fepesp e da entidade patronal nesta terça-feira, dia 18/09.
O PLR, ou Abono Salarial, é de 15% sobre o seu salário bruto em Outubro. A PLR ou o Abono devem ser calculados levando em conta o seu salário reajustado – isto é, sobre a soma de todas as parcelas habitualmente recebidas como salário base, hora-atividade, descanso semanal remunerado e quaisquer outros adicionais incorporados à remuneração mensal.
QUEM RECEBE – Todas as professoras, professores e auxiliares de administração escolar que estiverem contratados em outubro devem receber os 15% de PLR ou abono, independentemente do tempo de serviço na escola. Recebe também quem estiver em licença remunerada licença maternidade por gravidez ou adoção ou licença médica de até seis meses.
Este pagamento da PLR, ou abono, não caiu do céu. Ele só será pago por que a mobilização de professores e auxiliares foi vitoriosa na campanha salarial de 2018. Está na convenção, tem força de lei. Avise seus colegas: se o PLR não for pago até o 15 de outubro, avise imediatamente o seu sindicato!

Fonte: www.fepesp.org.br
Proxima  → Página inicial

Sindicato dos Professores de Jaú

SINPRO